6 de jun de 2017

143. RINGU - O CHAMADO (1998)

Lá por volta de 2002, após ver 'O Chamado' pela primeira vez, fui atras de sua versão original e acabei ficando bastante decepcionado. Na hora de citar remakes melhores que seus originais, sempre vinha 'O Chamado' na minha cabeça. Recentemente revi o longa de Hideo Nakata e minha opinião não poderia ser mais diferente. Ainda considero a versão de Gore Verbinski um remake excelente, mas a verdade é que hoje enxergo a obra-prima que a versão original é. Digamos que 'O Chamado' é uma versão mais imatura de 'Ringu'. Enquanto 'Ringu' tem um ritmo mais calmo e seu suspense desenvolvido de forma mais lenta, 'O Chamado' já é mais frenético e segue uma narrativa mais convencional. Diferente do remake, 'Ringu' não tem efeitos especiais, não tem uma trilha sonora marcante nem uma fotografia avassaladora. No entanto, as atuações e, principalmente, o roteiro são os grandes destaques do filme. As informações são liberadas aos poucos e nem sempre é algo explícito. Esse é aquele tipo de filme que faz ter vontade de assistir de novo para pegar cada pista que a narrativa fornece. Enquanto no remake tínhamos um pouco de ação para dar um certo ritmo, aqui tudo é mais introspectivo. O remake se preocupa em explicar nitidamente todas as pistas, já no original algumas pistas são reveladas sem o uso de diálogos, fazendo com que o espectador se envolva muito mais na história. 'Ringu' até pode agradar a molecada, mas seu ritmo pode incomodar os mais acostumados com o horror americano. Este não é o famoso 'terror para adolescentes', na verdade está bem longe disso. Hideo Nakata criou um filme de terror pra gente grande, mais focado no desenvolvimento do roteiro do que em dar sustos. Um clássico do gênero que iniciou todo um novo movimento na cena de horror. (Ringu. Dirigido por Hideo Nakata. Com Nanako Matsushima. Suspense. 96 min.) 

NOTA: 9.5

Nenhum comentário: