5 de mai. de 2017

136. POWER RANGERS (2017)

Eu via 'Power Rangers' quando criança, mas não com muita frequência. Nunca fui fã, então isso fez eu entrar neste filme de mente totalmente limpa e aberta. Eu sei que a série era extremamente tosca (no bom sentido da palavra) e muitas coisas teriam que ser mudadas para conseguir convencer o público de hoje. O roteiro foca bastante em desenvolver os personagens e as relações entre eles. Na verdade o roteiro foca tanto nisso, que acabou sendo a melhor e a pior coisa do filme. Sinto muito decepcionar alguns, mas eles só aparecem como os Power Rangers em si somente no terceiro ato. Durante cerca de 90 minutos a trama é basicamente eles tentando morfar para conseguir derrotar Rita Repulsa. A vilã tem uma presença bastante ameaçadora e mostra ser um forte desafio para os Rangers. Na verdade ela é tão poderosa que ela poderia ter matado eles muito mais cedo, mas o roteiro acaba - muitas vezes - deixando isso de lado para poder desenvolver os cinco. Eu gostei muito de cada um dos Rangers e o modo como eles possuem passados bem turbulentos. A amizade entre eles soa verdadeira e vai aumentando gradualmente com o seguimento da narrativa. Por um tempo o filme consegue manter o suspense, mas chega uma hora que cansa. Pagamos um ingresso para ver os Power Rangers, já passou mais da metade do filme e nada. Quando eles finalmente aparecem, visualmente não soam muito interessantes. Algo ali não está certo e precisa ser revisto caso tenha uma sequência. Por outro lado, quando estão em batalha, as lutas são muito bem coreografadas e se mantem bastante fiéis à série original. No fim, acaba sendo decepcionante esperar tanto tempo para ver tão pouco. Pelo menos todo o desenvolvimento está perfeitamente estabelecido. (Power Rangers. Dirigido por Dean Israelite. Com Elizabeth Banks, Bryan Cranston e Bill Hader. Aventura. 124 min.)

NOTA: 6.5

Nenhum comentário: