3 de abr de 2017

128. É FADA (2016)

Eu preciso começar dizendo que sou fã da Kéfera. Acompanho o canal dela faz alguns anos e curto bastante o material que ela produz. Não, não é o humor mais primoroso que existe no Brasil - e está longe de ser - mas acho ela divertida na medida certa. Fui ao cinema ver 'É Fada' sem expectativa nenhuma, já que a enxurrada de críticas negativas apareceu bem rápido e com força. Nos primeiros minutos de filme é possível detectar a pior coisa presente nele: a direção. Meu Deus do céu! Eu acho que nunca vi um filme tão mal dirigido na minha vida. O roteiro é baseado em um livro, mas essa estrutura já foi usada em diversos filmes - principalmente americanos. A diretora Cris D'Amato tem um péssimo currículo, mas aqui ela poderia ter usado a versatilidade da Kéfera para criar cenas que tinham potencial para se tornarem memoráveis. O roteiro tem algumas piadas legais e a Kéfera talvez seja a melhor coisa do filme. O modo como ela vai se transformando em diversos personagens diferentes com o desenvolver da (pouca) narrativa poderia ter sido muito melhor abordado se tivéssemos uma direção mais firme. O elenco coadjuvante não ajuda nem piora o filme, mas nenhum ali faz um trabalho que será lembrado. A ideia de colocar Kéfera em um filme de fantasia infantil é excelente, mas faltou polir mais o roteiro e chamar pessoas realmente interessadas em trazer essa história para a tela. A única pessoa que parece realmente animada é a própria Kéfera, pois todo o resto parece estar ali apenas para cumprir contrato e ganhar um dinheiro. 'É Fada' é um filme que não tinha um grande potencial, mas podia ter feito muito mais com o pouco que ele se propôs a apresentar. É um filme preguiçoso em vários sentidos e feito extremamente ás pressas. Kéfera tem talento SIM e merecia um projeto em que todos estivessem em sincronia. (É Fada. Dirigido por Cris D'Amato. Com Kéfera Buchman. Comédia. 86 min.)

NOTA: 3

Nenhum comentário: