5 de fev de 2017

118. A AUTÓPSIA (2016)

A sensação de descobrir pequenas pérolas é um dos motivos pelo qual eu amo tanto o gênero terror. Todo ano tem aquele filme que surge do nada, sem criar grandes expectativas e que acaba sendo uma tremenda surpresa. Eu não li nada sobre esse filme, não vi o poster nem o trailer. De repente apareceu em algumas listas dos melhores de 2016, logo de cara chamou minha atenção. 'A Autópsia' é um suspense sobrenatural, com fortes elementos de horror, completamente ambientado em um necrotério. Pai e filho precisam fazer a autópsia do corpo de uma garota encontrada morta e enterrada em uma casa. No decorrer do processo coisas estranhas começam a acontecer. Este é aquele tipo de filme em que a tensão está presente desde o início e vai se intensificando com o desenrolar das coisas. Aqui não tem essa de começo parado, pois já de cara tudo começa a ficar estranho. O roteiro - escrito por 2 pessoas - talvez seja a melhor coisa do filme, já que os diálogos são excelentes e seguram a narrativa de forma muito competente. Brian Cox e Emile Hirsh possuem uma química ótima e dão um baita peso aos personagens. O diretor André Øvredal faz um trabalho inspirador ao criar uma ambientação claustrofóbica e ao mesmo tempo aproveitando cada centímetro dos poucos cenários para criar imagens lindas. Tecnicamente o filme é perfeito: a fotografia, a maquiagem, os efeitos. Tudo está lindo na tela e tem cara de superprodução. 'A Autópsia' é uma grata surpresa, o tesourinho escondido que 2016 nos trouxe. (The Autopsy of Jane Doe. Dirigido por Andre Øvredal. Com Brian Cox e Emile Hirsch. Terror. 86 min.)

NOTA: 8

Nenhum comentário: