25 de mai de 2016

108. STRAIGHT OUTTA COMPTON (2015)

Entrei em 'Straight Outta Compton' de cabeça vazia e coração aberto. Eu não sabia nada sobre o N.W.A. e nem sobre sua importância para a música, já que hip hop não é meu estilo favorito de música. O filme segue a vida de 5 jovens enquanto eles criam um grupo de hip hop onde as letras das músicas refletiam da maneira mais bruta a realidade do lugar onde eles viviam. O filme aborda vários temas como racismo e desigualdade social de forma bastante eficiente. Para quem já assistiu a outros filmes biográficos de grandes nomes da música, talvez a história seja um pouco previsível. O filme mostra a ascensão do grupo, seu sucesso, depois o excesso de drogas e sexo, passando por brigas e depois uma crise. Mas isso não é uma fórmula de roteiro, mas sim uma realidade que muitos músicos de sucesso passam. O diretor F. Gary Gray já está no mercado faz algum tempo, mas nunca havia realizado um projeto de tamanha qualidade. O elenco está incrível, todos eles, sem exceção. Jason Mitchell (como Eazy-E) e  O'Shea Jackson, Jr (como Ice Cube) são os grandes destaques e torço pra ver eles mais vezes no cinema. 'Straight Outta Compton' é um filme muito bem conduzido, com personagens carismáticos e que certamente tem sua importância. Um filme obrigatório para quem é fã do N.W.A. e principalmente para quem não conhece eles (como eu). Uma história que as pessoas precisam saber que aconteceu. (Straight Outta Compton. Dirigido por F. Gary Gray. Com O'Shea Jackson, Jr e Jason Mitchell. Drama. 147 min.)

NOTA: 8

16 de mai de 2016

107. STEVE JOBS (2015)

Steve Jobs teve uma vida cheia de acertos e de criações fantásticas que deve ser fácil fazer um filme sobre a vida dele. A verdade é que a tarefa parece ser mais difícil do que parece. 'Jobs' de 2013 tentou adotar uma narrativa mais linear e acabou falhando em tudo a que se propôs. Já esse filme dirigido por Danny Boyle aborda a vida de Steve Jobs de uma forma bastante peculiar. O filme mantém seu foco em apenas 3 momentos da vida do cara: 1984, 1988 e 1998. Tudo nos bastidores de grandes lançamentos. São 2 horas de diálogos absurdamente incríveis e extremamente envolventes. O roteiro do filme é estupendo e dá uma verdadeira aula de relações entre personagens. Outro grande acerto foi a escalação do elenco. Michael Fassbender e Kate Winslet basicamente protagonizam juntos o filme, com o resto do elenco fazendo aparições ao longo da história. Apesar de ser ambientado em 3 grandes lançamentos, o roteiro prefere focar na parte pessoal de Steve Jobs. Raramente é falado sobre suas criações, e quando aparecem elas normalmente apresentam defeito. Danny Boyle criou um filme cheio de camadas e eu poderia ficar aqui escrevendo por horas sobre como o roteiro e a direção trabalham vários temas nas entrelinhas. 'Steve Jobs' certamente é um dos meus filmes favoritos de 2015, graças ao seu roteiro sensacional e às atuações de cair o queixo. (Steve Jobs. Dirigido por Danny Boyle. Com Michael Fassbender e Kate Winslet. Drama. 122 min.)

NOTA: 9

13 de mai de 2016

106. CREED (2015)

Já vou avisando logo de cara que não sou fã da série 'Rocky'. Assisti ao primeiro filme, mas não me chamou muito a atenção. Pode me julgar. Mas então apareceu 'Creed' e eu só ouvia coisas boas. Decidi dar uma chance e MEU DEUS! QUE FILMÃO! Eu não estava com vontade de assistir aos filmes do Rocky, então apenas dei uma pesquisada para saber por cima sobre o que se tratava cada filme e como foi a recepção do público e da crítica perante eles. Então tudo o que sei sobre Rocky é o que li. O que mais me impressionou em 'Creed' foi a criação daquele universo. Realmente parece ter sido feito por alguém que entende o que estava fazendo. O filme tem movimentos de câmera extremamente inspirados e uma edição bastante dinâmica. A trilha sonora também é mais um ponto alto do filme, sendo usada com muita sabedoria e em momentos que certamente farão os fãs vibrarem. Michael B. Jordan cria um personagem destemido e certo do que quer. Você realmente torce por ele.  Uma pena que sua atuação não tenha sido lembrada nas premiações desse ano. Já Sylvester Stallone foi muito lembrado e merecia ter ganho o Oscar que acabou indo para Mark Rylance. Este é o sexto filme onde ele interpreta Rocky, e é lindo o que ele faz com o personagem. 'Creed' parece ser o início de uma nova franquia que tem tudo para dar certo. Com um roteiro cheio de momentos épicos, atuações impactantes e uma direção certeira, 'Creed' acaba sendo um filme obrigatório. (Creed. Dirigido por Ryan Coogler. Com Michael B. Jordan e Sylvester Stallone. Drama. 133 min.)

NOTA: 8.5

11 de mai de 2016

105. A COLINA ESCARLATE (2015)

Na minha humilde opinião, Guillermo Del Toro é um dos melhores diretores trabalhando atualmente. Cada filme que ele dirige são projetos inspirados e visualmente estonteantes. Com 'A Colina Escarlate' não é muito diferente. O filme mistura elementos de suspense sobrenatural com fantasia e um forte romance. O roteiro investe bastante nas relações entre os personagens, com longos diálogos que enriquecem o universo criado, mas que às vezes acabam prejudicando o ritmo. As revira-voltas no final podem soar forçadas e até mesmo previsíveis, mas por outro lado elas acabam indo de acordo com tudo o que nos foi apresentado ao longo da narrativa. Assim como em TODOS os filmes do Del Toro, o visual de 'A Colina Escarlate' é sensacional. É inacreditável que o filme não sido indicado aos Oscars de Melhor Figurino e Melhor Direção de Arte. Se não fosse a fotografia hipnotizante, o filme poderia ter sido facilmente entediante. O elenco está muito bem, principalmente Tom Hiddleston como o elegante Thomas Sharpe. Mia Wasikowska parece tentar demais e raramente consegue entregar algo acima da média. Del Toro é um dos cineastas que melhor sabe trabalhar o fantástico e o horror juntos, mas neste filme sinto que ele preferiu trabalhar o gótico e o romance. O filme tem sim seus elementos de terror e fantasia, mas no geral ele é muito mais um romance do que qualquer outra coisa. 'A Colina Escarlate' é um trabalho curioso e satisfatório. Tem um roteiro interessante - apesar dos defeitos - e uma cenografia belíssima. É Del Toro emulando Mario Bava no melhor sentido da palavra. (Crimson Peak. Dirigido por Guillermo Del Toro. Com Mia Wasikoska e Tom Hiddleston. Romance. 119 min.)

NOTA: 7

9 de mai de 2016

104. CAPITÃO AMÉRICA: GUERRA CIVIL (2016)

'Capitão América: Guerra Civil' tinha tudo para dar errado, mas - graças aos irmãos Russo - o resultado é bem diferente. Com uma base política bastante forte, o roteiro usa sua primeira metade para trabalhar as motivações do Homem de Ferro e do Capitão América. Ambos estão com propósitos diferentes, e o roteiro faz um trabalho incrível ao nos apresentar alguns dos melhores diálogos que já vimos em um filme da Marvel para justificar ações duvidosas de cada herói. Já a segunda metade é focada na ação e MEU DEUS! QUE CENAS DE AÇÃO!!! Os irmãos Russo já haviam mostrado que sabem dirigir ação em 'Capitão América: Soldado Invernal', mas o que eles fizeram neste filme é digno de aplausos... em pé! A cena do aeroporto ja é - pra mim -  a melhor cena de ação em um filme de super herói. São mais de 10 personagens lutando entre si e você entende perfeitamente tudo o que está acontecendo, já que a câmera faz questão de mostrar a contribuição de cada herói para aquela batalha. Só no pôster já são 10 personagens, mas não se engane, esse não é um filme dos Vingadores. Apesar da grande quantidade de personagens, Steve Rogers e Buck são os fios condutores da narrativa. Ainda é cedo para dizer se este é o melhor filme da Marvel, mas certamente é o mais bem escrito. Os diálogos, as motivações, as piadas, tudo é muito bem encaixado e perfeitamente desenvolvido. 'Capitão América: Guerra Civil' é o tipo de filme que vai agradar todo mundo. Tem ação, tem romance, tem drama, tem comédia. Tem tudo e mais um pouco. Obviamente um dos pontos altos na filmografia da Marvel Studios. (Captain America: Civil War. Dirigido por Joe & Anthony Russo. Com Chris Evnas e Robert Downey Jr. Ação. 146 min.)

NOTA: 9.5

7 de mai de 2016

103. MOGLI - O MENINO LOBO (2015)

O novo longa de Jon Favreau já pode servir como um dos melhores argumentos para aqueles que julgam refilmagens. 'The Jungle Book', livro de Rudyar Kipling, já teve diversas adaptações. Além de vários desenhos animados e 2 filmes em 1937 e 1942, a própria Disney fez um ótimo filme em 1994 e algumas sequências bobas diretas para VHS. Quase 50 anos depois da animação produzida por Walt Disney, Jon Favreau traz Mogli de volta às telas grandes, fazendo a melhor adaptação dos trabalhos de Kipling. O filme é ágil, divertido, engraçado e muitas vezes emocionante. Desde a abertura (com um lindo logotipo diferenciado da Disney) até os criativos créditos finais, meus olhos ficaram presos na tela. Cerca de 90% do filme é animação em CGI, mas tudo é tão bem feito que em nenhum momento você se pergunta se aquilo tudo é real ou não. A imersão é tanta e Neel Sethi é tão carismático que todo aquele cenário e personagens computadorizados acabam soando perfeitamente críveis na tela. A trilha de John Debney é outro ponto positivo e que enriquece o longa de forma inacreditável. As cenas de Mogli correndo pela floresta e subindo nos galhos das árvores não teriam o mesmo impacto sem a trilha freneticamente encantadora de Debney. 'Mogli - O Menino Lobo' é quase perfeito. Talvez tenha uma leve gordurinha na parte dos macacos, mas nada que prejudique o ritmo do filme. Jon Favreau provou - mais uma vez - que idéias batidas e já aproveitadas anteriormente podem render coisas novas. Certamente um dos melhores filmes do ano. (The Jungle Book. Dirigido por Jon Favreau. Com Bill Murray, Ben Kingsley, Idris Elba, Lupita Nyong'o, Scarlett Johansson, Giancarlo Esposito, Christopher Walken e Neel Sethi. Aventura. 105 min.)

NOTA: 9.5

5 de mai de 2016

102. DEADPOOL (2016)

'Deadpool' deu tão certo, mas tão certo, que é difícil entender os motivos que fizeram esse filme ficar engavetado por anos. Talvez o maior acerto do filme seja sua campanha publicitária. Nunca um filme foi tão honestamente vendido. Os trailers mostravam pouco, mas se mantinham fiéis ao espírito do personagem. A estrutura narrativa de 'Deadpool' não é nada inovadora, já que ele utiliza o mesmo formato usado em 90% dos filmes de quadrinhos. A diferença está em Ryan Reynolds, que mostrou ter estudado o personagem, criando um Deadpool honesto com aquilo visto nos quadrinhos. O resto do elenco está bom, sem comprometer ou elevar a qualidade do filme. Outro ponto bastante positivo é a edição. Normalmente em filmes de origens nós só vemos o super-herói pronto e em ação por volta de 1 hora. Neste filme é diferente, pois já começamos com Deadpool em atividade para depois sermos apresentados à origem. A edição dinâmica e o excelente timing cômico do roteiro deixam o filme super ágil, fazendo as quase 2 horas passarem voando. 'Deadpool' certamente é um dos projetos mais arriscados dos últimos anos é muito bom ver que os envolvidos na produção tiveram a coragem de criar um personagem bastante fiel aos quadrinhos e fazer um filme mais voltado para o público adulto. Extremamente violento, divertido e engraçado, 'Deadpool' vai mudar algumas coisas em Hollywood. Pode ter certeza que filmes de super heróis serão um pouco diferentes a partir de agora. (Deadpool. Dirigido por Tim Miller. Com Ryan Reynolds. Ação. 108 min.)

NOTA: 8.5