18 de jul de 2015

76. HOMEM-FORMIGA (2015)

Se passaram apenas 7 anos desde o lançamento de seu primeiro filme e a Marvel Studios já construiu um universo enorme incluindo filmes, series de TV e curta-metragens. 'Homem-Formiga' já é o 12º longa produzido pelo estúdio e é bom ver que, apesar da fórmula ser sempre a mesma, eles sempre reaproveitam ela de formas extremamente diferentes. O filme conta a clássica jornada do heroi, exatamente nos mesmos moldes de 'Homem de Ferro', 'Capitão América', entre outros. A diferença é que este filme prova que menos é mais. Com uma direção certeira de Peyton Reed, o filme nos apresenta Scott Lang, um ladrão que acaba roubando uma roupa estranha da casa de Hank Pym, um cientista a procura de um pupilo. A partir daí o filme engata cenas de ação incríveis em um scope absurdamente enorme e ao mesmo tempo intimista. Temos uma grande variedade de cenas altamente criativas, principalmente quando o personagem Scott Lang está aprendendo a lidar com a roupa. O vilão Jaqueta Amarela é bastante fraco mas o filme está ciente disto, tanto que os problemas com ele são resolvidos de maneira bastante fácil e sem muita dificuldade. Nada de destruição de cidades, nem altas perseguições de carros. O filme se mantém interessante e curioso justamente por usar cenários inusitados como pano de fundo para as cenas de ação e pela relação bem construída entre os personagens. 'Homem-Formiga' não é o filme do ano, mas certamente é um dos mais divertidos. Um produto com a cara da Marvel e recheado de referências, do jeito que os fãs gostam. (Ant-Man. Dirigido por Peyton Reed. Com Paul Rudd. Aventura. 117 min.)

NOTA: 8

17 de jul de 2015

75. A RATINHA VALENTE (1982)

1982 foi um grande ano para o cinema, trazendo enormes clássicos como 'Mad Max 2', 'Star Trek II: A Ira de Khan', 'Poltergeist' e 'E.T. - O Extraterrestre'. Já no ramo das animações, os anos 70 e início dos 80 foram extremamente difíceis. A Disney estava em crise e tinham poucos outros estúdios criando filmes animados na época. 'A Ratinha Valente' foi o primeiro longa dirigido por Don Bluth, que mais tarde nos presentearia com jovens clássicos como 'Em Busca do Vale Encantado', 'Um Conto Americano' e 'Anastasia'. Tendo em vista o contexto histórico, mais a inexperiência de Don Bluth na direção, chega a ser inacreditável que 'A Ratinha Valente' tenha saído um filme tão incrível. Narrativamente ele é bastante básico e segue a formula da jornada do herói do início ao fim. Mesmo assim a história é cheia de emoção genuína e com momentos extremamente inquietantes. Junto a isso temos aqui um dos visuais mais fantásticos que já vi em uma animação. Os cenários são grandiosos e cheios de detalhes, recheados de cores vibrantes e muito variadas. Além disso, a animação dos personagens é um dos melhores trabalhos que já vi em filmes feitos com a clássica técnica a mão. Eu poderia ficar horas aqui debatendo sobre os motivos que me fizeram ficar tão empolgado com este filme. Por uns 3 anos ele ficou parado na minha coleção de DVDs e hoje - finalmente! - eu peguei ele pra ver e fiquei bastante impressionado. Certamente é um filme que não vai ficar mais parado na estante, já que ele merece ser visto e revisto diversas vezes. (The Secret of Nimh. Dirigido por Don Bluth. Aventura. 82 min.)

NOTA: 9

16 de jul de 2015

74. T3: A REBELIÃO DAS MÁQUINAS (2003)

Após ver 'O Exterminador do Futuro: Gênesis' decidi revisitar todos os outros capítulos da saga e acabei tendo uma grata surpresa com o terceiro filme. 'A Rebelião das Máquinas' se passa quase 10 anos após os acontecimentos do segundo filme, mostrando - novamente - John Connor sendo perseguido por um robô do futuro. Na verdade a trama deste terceiro filme pega muitas coisas emprestadas do longa dirigido por James Cameron. O filme segue basicamente a mesma fórmula, inclusive apresentando cenas de ação que se assemelham - e muito! - com algumas mostradas no segundo filme. Assim como em 'T2', aqui temos uma perseguição envolvendo um caminhão e uma moto, temos um enorme tiroteio contra carros da polícia, têm também a pausa para descanso no deserto, entre outros. Tudo é executado de forma bastante convincente, já que em nenhum momento o filme tenta ser melhor do que seu antecessor, mas sim uma continuação - no mínimo - decente. Nick Stahl impressiona como John Connor, sendo um dos melhores a interpretá-lo. Arnold Schwarzenegger é um cara bastante carismático e que chama a atenção quando está em tela. Talvez faltou uma certa humanização do personagem, algo que funcionou muito bem no filme anterior. Ultimamente ando vendo várias pessoas comentando que apenas os 2 primeiros longas prestam. Eu sempre estranhei isso, pois lembro de ter tido uma experiência positiva com 'T3'. Este foi um dos principais motivos de eu revisitar este filme, e no fim acabei  achando melhor que eu esperava. Possui alguns problemas no seu terceiro ato extremamente barulhento, mas no geral é um ótimo filme de ação e uma sequência que faz jus ao filme anterior. (Terminator 3: Rise of the Machines. Dirigido por Jonathan Mostow. Com Arnold Schwarzenegger. Ação. 109 min.)

NOTA: 8

15 de jul de 2015

73. DARKMAN - VINGANÇA SEM ROSTO (1990)

Sou um enorme admirador do trabalho de Sam Raimi. Criou clássicos instantâneos como trilogia de 'A Morte do Demônio' e os 2 primeiros 'Homem-Aranha'. Além disso, dirigiu 'Arraste-Me Para o Inferno' (um dos filmes de terror que mais gosto) e o divertido 'Oz - Mágico e Poderoso'. É uma carreira bastante diversificada, mas é incrível como todos os filmes possuem uma forte assinatura do diretor. Por incrível que pareça, eu nunca tinha visto 'Darkman'... até hoje. Foi um filme que me impressionou bastante, principalmente por ser o título em que o estilo Sam Raimi esteve mais forte. Já pelo poster nota-se um forte apelo visual, algo trabalhado de maneira bastante curiosa pelo diretor. A edição é bastante inventiva, a fotografia é cheia de ângulos e luzes curiosas, além de movimentos de câmera malucos e totalmente fiéis à alma de Sam Raimi. Além disso, a mistura dos efeitos práticos com efeitos digitais ajudam a criar um visual que lembra bastante revistas em quadrinhos por diversas vezes. Essa ideia de lembrar uma história em quadrinhos é bastante reforçada quando notamos uma interpretação bastante teatral e exagerada (no melhor sentido da palavra) do elenco, principalmente Liam Neeson no papel principal. São atuações por vezes cartunescas e que precisam de um forte apelo visual para que funcionem de acordo com a narrativa, mas no fim tudo funciona em perfeita harmonia. Sam Raimi criou um clássico instantâneo, com um visual arrebatador e uma narrativa muito bem construída e cheia de camadas que dão espaço para diversas discussões sobre assuntos variados. (Darkman. Dirigido por Sam Raimi. Com Liam Neeson. Ação. 95 min.)

NOTA: 9

14 de jul de 2015

72. CIDADES DE PAPEL (2015)

Ano passado o romance 'A Culpa é das Estrelas', baseado no livro de John Green, arrecadou mais de $300 milhões nas bilheterias. Algo bastante impressionante para um filme que custou apenas $12 milhões para ser feito. E não demorou muito para que outro trabalho do escritor John Green recebesse luz verde para ser produzido. 'Cidades de Papel' é baseado no livro escrito em 2008 (quatro anos antes de 'A Culpa é das Estrelas') e, apesar de ser vendido como um romance, o filme acaba retratando muito mais relações de amizade do que um romance em si. Claro que existe um garoto que se apaixona por uma garota, mas a essência e o foco da história está em como o personagem principal se relaciona com seus amigos. Este garoto é interpretado por Nat Wolff, em uma interpretação adorável e muito bem construída. Cara Delevigne também está ótima no papel da garota misteriosa que serve como McGuffin do filme. Além disso têm o elenco coadjuvante, com destaque para Austin Abrams que dá um show de carisma e rouba a cena toda vez que aparece em tela. Apesar de se apoiar no sucesso de 'A Culpa é das Estrelas', este filme se assemelha muito mais com 'As Vantagens de Ser Invisível' em termos de narrativa e estilo. 'Cidades de Papel' é uma ótima comédia, com uma pitada de romance e fortes elementos de um road movie. Uma mistura que deu bastante certo, apesar dos pequenos problemas na edição, que deixaram o filme um pouco lento durante sua segunda metade. Mas nada que prejudique a experiência. (Paper Towns. Dirigido por Jake Shreier. Com Nat Wolff e Cara Delevigne. Drama / Comédia. 108 min.)


NOTA: 7

13 de jul de 2015

71. NOITE SEM FIM (2015)

Liam Neeson iniciou sua carreira em Hollywood ao final dos anos 70, fazendo inúmeros filmes de gêneros bastante diferentes. Mas foi ao final dos anos 2000 que o ator começou a ganhar enorme destaque, principalmente por se tornar um dos principais astros de filmes de ação. Após 'Busca Implacável', o ator se meteu em diversos filmes do mesmo estilo, com destaque para 'Sem Escalas' (Non-Stop, 2014). 'Noite Sem Fim' estreou apenas 2 meses após o terceiro capítulo da série 'Busca Implacável' e, obviamente, não teve o retorno financeiro esperado. Por outro lado, este é um filme muito melhor que as 2 sequências da série que jogou ele nesse gênero. Dirigido por Jaume Collet-Serra (o mesmo de 'Sem Escalas' e 'Desconhecido - ambos protagonizados por Liam Neeson), o filme apresenta uma premissa interessante e tem seu desenvolvimento relativamente decente, com algumas boas revira-voltas e cenas violentas em momentos inesperados. O filme pega emprestado muita coisa de 'Busca Implacável' e até mesmo o personagem parece o mesmo. Apesar do roteiro fraco, o filme possui um visual incrível, cheio de cenas com um jogo de câmeras muito bem coreografados. Em nenhum momentos temos a famosa câmera tremida, sendo possível entender tudo o que está acontecendo em tela. 'Noite Sem Fim' tem seus problemas e poderia ser bem mais curto e direto. Por outro lado, é um filme de ação decente e que acaba sendo muito melhor que as sequências de 'Busca Implacável'. (Run All Night. Dirigido por Jaume Collet-Serra. Com Liam Neeson. Ação. 114 min.)

NOTA: 6

12 de jul de 2015

70. TOMORROWLAND: UM LUGAR ONDE NADA É IMPOSSÍVEL (2015)

Brad Bird é um dos diretores que mais admiro. Comandou a incrível animação 'O Gigante de Ferro' (Iron Giant, 1999) para a Warner e depois dirigiu alguns dos filmes mais autênticos da Pixar: 'Os Incríveis' (The Incredibles, 2004) e 'Ratatouille' (Idem, 2007). Além disso, foi o responsável pelo melhor capítulo - na minha opinião - da série 'Missão: Impossível'. Bird co-escreveu o roteiro de 'Tomorrowland' junto com Damon Lindelof (um dos principais responsáveis pelo seriado 'Lost'). A premissa é bastante interessante e cheia de potencial para um desenvolvimento diferente do normal. Os dois primeiros atos do filme são muito bem construídos, criando um mistério intrigante e visualmente deslumbrante. Apesar de seguir à risca a fórmula da jornada do herói, o filme possui algumas surpresas, mas nada muito original. O que é uma pena, visto que as pessoas envolvidas com este filme vieram de diversos projetos famosos por sua originalidade. 'Tomorrowland' escorrega bonito em seu terceiro ato, com uma demorada cena de ação recheada de clichês que não condizem com a ideia criativa apresentada no início. Vejo que isso é um problema recorrente em diversos títulos, já que são poucos os que conseguem manter uma harmonia durante toda a projeção. Muitos apresentam uma ideia interessante, mas poucos conseguem desenvolver essa ideia de maneira satisfatória. A conclusão de 'Tomorrowland' pode não condizer com o resto do filme, mas não chega a estragar a experiência. Os dois primeiros atos são bem elaborados e extremamente divertidos. Não chega a ser uma queda na carreira de Brad Bird, mas é um belo tropeço. (Tomorrowland. Dirigido por Brad Bird. Com George Clooney. Aventura. 130 min.)

NOTA: 6.5

9 de jul de 2015

69. RE-ANIMATOR (1985)

Certamente os anos 80 foram marcados por alguns dos melhores filmes de terror que existe. Cheios de humor, violência e - principalmente - criatividade, o cinema de horror dessa década gerou diversos sucessos de bilheteria como 'A Hora do Pesadelo', 'Brinquedo Assassino' e 'Poltergeist'. 'Re-Animator' não faz parte dessa lista, mas talvez seja um filme tão bom quanto (ou melhor) que aqueles citados acima. Baseado no conto do escritor H. P. Lovecraft, o filme basicamente reconta o mito de Frankenstein ao mostrar um estudante de medicina buscando a cura para a morte. Dirigido por Stuart Gordon, é impressionante como o filme têm um ritmo extremamente ágil e rápido. Quando você menos espera, o filme acabou. Tá certo que a duração é de apenas 86 minutos, mas mesmo assim, a narrativa se mantém interessante durante todo o tempo. Jeffrey Combs está absurdamente fantástico no papel de Herbert West, assim como David Gale como seu rival. O roteiro - escrito á 3 mãos - adiciona alguns personagens que não existem no conto, e recheiam a história com diversas cenas de terror completamente surtadas. 'Re-Animator' é literalmente surpreendente, já que a cada 10 minutos somos surpreendidos com algo totalmente inesperado. Além disso um filme tem uma rápida sucessão de acontecimentos, dando uma forte agilidade à narrativa e - junto com a edição fantástica - fazendo o filme ter um ritmo bastante diferente da maioria do que era visto na época. 'Re-Animator' é relativamente pouco conhecido e raramente aparece em listas de clássicos do terror (que normalmente são preenchidas com filmes de grande sucesso nas bilheterias), mas certamente é um dos filmes essenciais para quem aprecia o gênero! (Re-Animator. Dirigido por Stuart Gordon. Com Jeffrey Combs. Terror. 86 min.)

NOTA: 9.5

8 de jul de 2015

68. CORRENTE DO MAL (2015)

Desde sempre o gênero terror foi bastante menosprezado. Não é todo dia que aparece um fenômeno como 'Invocação do Mal', que arrecadou mais de $300 milhões nas bilheterias. 'Corrente do Mal' arrecadou fracos $17 milhões, mas isso já era esperado visto que este é um filme bastante diferente e que foge de todas as regras básicas de um filme de terror. Não chega a ser uma ideia totalmente original, mas é uma ideia muito bem trabalhada. 'Corrente do Mal' é um filme-conceito. Ele nos apresenta um conceito e não chega a desenvolvê-lo muito, mas trabalha ele de diversas maneiras. Uma mais interessante que outra. Resumindo, o filme conta a história de uma garota que acaba 'contraindo' uma maldição após fazer sexo com um garoto. Algumas regras básicas são estabelecidas - como toda maldição - e a partir daí, as consequências disso são mostradas em uma sucessão de cenas extremamente assustadoras e agoniantes que priorizam a junção mágica de uma ótima trilha sonora com imagens impactantes, sem necessariamente haver violência nelas. O roteiro é brilhante ao fazer uma crítica ao sexo desprotegido e  também deixar um enorme espaço aberto para discussão sobre a maldição em si. Talvez isso incomode muita gente e, sinceramente, uma pequena parte de mim gostaria de ver algo menos abstrato. Mas grande parte de mim prefere o mistério, já que histórias redondinhas e cheias de explicação é o que mais têm por aí. 'Corrente do Mal' tem um ritmo diferente, um estilo bastante autêntico, e uma trilha sonora fantástica. Um filme que pode não agradar a todos, mas que certamente se destaca daquilo que estamos acostumados a ver. (It Follows. Dirigido por David Robert Mitchell. Com Maika Monroe. Terror. 100 min.)

NOTA: 9

7 de jul de 2015

67. O EXTERMINADOR DO FUTURO: GÊNESIS (2015)

Este tem sido um ano bastante nostálgico para o cinema. 'Mad Max', 'Jurassic Park' e 'Star Wars' são alguns dos títulos que estão voltando aos cinemas este ano, junto com mais um capítulo de 'O Exterminador do Futuro'. É uma pena que o retorno do T-800 não seja tão divertido quanto o de Max ou o T-Rex. 'Gênesis' pega emprestado a trama do 'Star Trek' de 2009, brincando com viagens no tempo e linhas narrativas alternativas. Durante a primeira hora de filme é realmente interessante como eles brincam com isso e fazem diversas referências diretas aos 2 primeiros capítulos. Já na segunda metade, o filme acaba se perdendo em meio a excessivas explicações desnecessárias. É a nova mania de Hollywood, executar uma ideia de modo que ela pareça mais complicada do que realmente é. Eu li diversos comentários negativos a respeito dos trailers e consegui fugir deles, o que certamente favoreceu a minha experiência com este filme. O elenco todo está ok, nada que comprometa o filme. Arnold Schwarzenegger está - obviamente - se divertindo horrores no papel, e isso deixa o filme muito mais divertido quando ele está em tela. Infelizmente a direção fraca e o roteiro recheado de furos absurdos, enfraquece (e MUITO!) o filme. Por outro lado, a primeira metade é interessante o bastante para salvar este quínto capítulo. Um filme fraco, mas que não chega a ser o desastre absoluto que muitos dizem por aí. (Terminator: GenIsys. Dirigido por Alan Taylor. Com Arnold Schwarzenegger. Ação. 126 min.)

NOTA: 6