18 de dez de 2014

24. O HOBBIT: A BATALHA DOS CINCO EXÉRCITOS (2014)

Finalmente chega ao fim a jornada inesperada de Bilbo Bolseiro. Peter Jackson não queria, mas aceitou dirigir a adaptação que antes seria conduzida por Guillermo Del Toro. O que antes seriam 2 filmes, acabaram se tornando 3 longos filmes que esticaram de forma bastante decepcionante uma história contada por Tolkien em menos de 300 páginas. O primeiro filme - apesar de longo - se manteve como uma aventura épica, porém despretensiosa. Já o segundo filme foi, na minha opinião, melhor executado, além de ter cenas incríveis com o dragão Smaug. Este terceiro já começa errando por mostrar uma cena incrível, mas que deveria ser o final do filme anterior. Em seguida somos bombardeados com uma sucessão de cenas descartáveis e desenvolvimento de personagens totalmente desinteressantes. O triângulo amoroso entre Legolas, Tauriel e Killi gera cenas vergonhosas e que não acrescentam em nada. Outra narrativa secundária que poderia ser facilmente deixada de lado é a do personagem Alfrid, que gera momentos de extremo incômodo. Já  a 'Doença do Dragão' - vivenciada pelo anão Thorin - acabou sendo umas das coisas mais interessantes nesse filme, porém perdeu a força que poderia ter ao ser resolvida de maneira bastante covarde. Sem contar a ausência do hobbit em si durante quase toda projeção.  'O Hobbit' é um livro que poderia ser facilmente contado em 1 filme, ou no máximo em 2 filmes de 2 horas cada (para suprir a fome que os executivos têm pelo dinheiro). Peter Jackson parece ter contraído a 'Doença do Dragão', ficando obcecado pelo ouro e esticando uma simples história em uma trilogia épica, porém entediante. (The Hobbit: The Battle of the Five Armies. Dirigido por Peter Jackson. Com Martin Freeman, Richard Armitage, Luke Evans, Evangeline Lilly, Orlando Bloom, Cate Blanchett e Ian McKellen. Fantasia. 144 min.)

NOTA: 4

23 de nov de 2014

23. COMO TREINAR SEU DRAGÃO 2 (2014)

'Como Treinar Seu Dragão' talvez tenha sido a maior surpresa de 2010, ainda mais vindo da Dreamworks Animation. Não que o estúdio produza animações fracas, mas são poucos os que tiveram alguma relevância além da arrecadação. 'Como Treinar Seu Dragão 2' é uma daquelas raras exceções onde a sequência se iguala ao original. É um filme as vezes previsível, mas outras vezes muito surpreendente. O roteiro segue a fórmula mais básica de todas, algo que incomoda em certos momentos mas não chega a prejudicar o resultado final. É interessante notar que os personagens já são introduzidos com uma idade avançada (já que se passaram 5 anos), fazendo com que até mesmo suas personalidades estejam um pouco diferentes logo ao início do filme. A partir daí toda ação e aventura serve apenas como pano de fundo pra uma trama que prioriza, acima de tudo, o desenvolvimento dos personagens. Os filmes da Dreamworks são facilmente reconhecidos pelos roteiros puxados para a comédia, pelos personagens geralmente engraçados e pelas piadas e referências atuais. É visível que isso vem diminuindo ao longo dos anos, graças á 'Como Treinar Seu Dragão'. Apesar de ter piadas e ser bastante engraçado, o primeiro filme se manteve focado na relação entre Soluço e Banguela. Nesta sequência isso não é diferente, mas agora vimos um aprofundamento na relação de Soluço com sua família, algo que gera momentos muito emocionantes. 'Como Treinar Seu Dragão 2' é um ótimo filme, nem pior nem melhor que o anterior. Uma animação que, mais uma vez mostra uma evolução narrativa bastante significativa para a Dreamworks. (How To Train Your Dragon 2. Dirigido por Dean DeBlois. Com Jay Baruchel, Cate Blanchett, Gerard Butler e Craig Ferguson. Aventura. 102 min.)

NOTA: 8

19 de nov de 2014

22. JOGOS VORAZES: A ESPERANÇA - PARTE 1 (2014)

Já não é a primeira vez que um livro é dividio em dois filmes. 'A Esperança', capítulo final da trilogia 'Jogos Vorazes', é a nova vítima dos estúdios e talvez seja o projeto que mais sofreu com a decisão. 'Jogos Vorazes: A Esperança - Parte 1' é um bom filme, ou melhor, meio filme. Apesar de discordar da decisão, entendo que 'As Relíquias da Morte' era um livro bastante longo e cheio de pontas para amarrar, o que resultou em 2 filmes com estilos e temáticas diferentes. 'A Esperança - Parte 1' acabou se prejudicando por não possuir um clímax, deixando claro que isso é apenas meio filme (algo que não senti com 'As Relíquias da Morte - Parte 1'). Seguindo nas mãos do diretor Francis Lawrence, este "terceiro" filme nos apresenta algumas discussões que já haviam sido muito bem trabalhadas nos filmes anteriores. A crítica à manipulação da mídia é extremamente bem desenvolvida nesse filme, mostrando agora como os rebeldes também usam e precisam dela. Temas como a opressão do governo e discussões existenciais também geram alguns dos pontos altos do filme. Jennifer Lawrence novamente vez dá um show de interpretação como Katniss Everdeen, Josh Hutcherson está impressionante nas poucas cenas em que aparece e astros como Donald Sutherland, Philip Seymour Hoffman e Julianne Moore estão igualmente incríveis em seus papéis. 'A Esperança - Parte 1' é uma boa metade de um filme, mas que sofreu com a decisão capitalista dos estúdios. Mesmo que seja um trabalho interessante, não supera os 2 primeiros. (The Hunger Games: Mockingjay - Part 1. Dirigido por Francis Lawrence. Com Jennifer Lawrence, Philip Seymour Hoffman, Julianne Moore e Donald Sutherland. Drama. 123 min.)

NOTA: 7.5

18 de nov de 2014

21. CAPITÃO AMÉRICA 2: O SOLDADO INVERNAL (2014)

A Marvel Studios vem fazendo um trabalho fantástico ao criar seu próprio universo cinematográfico. 'Capitão América 2: O Soldado Invernal' foi o primeiro de dois grandes filmes lançados pelo estúdio em 2014. Apesar de ser uma sequência ao longa de 2011, o filme pega o personagem Steve Rogers e coloca ele em uma trama de espionagem, um gênero bastante diferente do filme anterior. Servindo como um dos filmes que melhor desenvolveram o Universo Marvel até então, 'O Soldado Invernal' marca uma grande mudança em tudo que o estúdio criou (narrativamente falando) até então. Chris Evans está cada vez melhor e mais solto na pele do Capitão. Se no primeiro filme ele já estava ótimo e em 'Os Vingadores' ele mostrou um enorme pontecial de liderança, neste filme ele lidera seu próprio grupo de super heróis. Já sabemos que o próximo capítulo adaptará a 'Guerra Civil' para o cinema, e 'O Soldado Invernal' serve como um ótimo prelúdio á esse acontecimento. Scarlett Johansson tem um de seus melhores momentos no filme ao seu final, quando é colocado em tela uma discussão que parece ser o cerne da Guerra Civil. Dirigido com maestria pelos irmãos Russo, 'Capitão América 2: O Soldado Invernal' é mais um filme que mostra a força com que a Marvel Studios está vindo. Temos ainda cerca de 10 filmes formalmente anunciados que culminarão em 'Os Vingadores - A Guerra Infinita Parte 1 e Parte 2'. Não tem como saber a qualidade dos filmes que virão ao longo desses anos, mas até então 'Capitão América 2' é certamente um dos 3 melhores filmes produzidos pela Marvel. (Captain America: Winter Soldier. Dirigido por Joe e Anthony Russo. Com Chris Evans, Scarlett Johansson, Robert Redford e Samuel L. Jackson. Ação. 136 min.)

NOTA: 9

17 de nov de 2014

20. AS AVENTURAS DE PEABODY E SHERMAN (2014)

Como já é de costume, a Dreamworks Animation lançou 2 animações excelentes esse ano, sendo uma delas 'As Aventuras de Peabody e Sherman'. Baseado em personagens de um desenho animado dos anos 60, Peabody (o cão) constroe uma máquina para viajar pelo tempo com a finalidade de ensinar Sherman (o garoto) a realidade dos acontecimentos históricos. Sempre que um filme decide usar viagem no tempo em sua narrativa, é necessário estabelecer certas regras para que não haja furos (o que é bem difícil de se fazer). 'As Aventuras de Peabody e Sherman' se mostra uma animação muito corajosa por não subestimar a inteligência das crianças ao criar um enredo onde as viagens no tempo tem suas consequências, e as explicações para isso foram feitas de maneira bastante satisfatória. O roteiro esperto de Craig Wright (que escreveu espisódios de 'Six Feet Under' e 'Lost') certamente está entre os melhores trabalhos da Dreamworks. Além de ser inteligente, os personagens são construídos de forma extremamente cativante, além de possuir piadas incríveis. É realmente triste que o filme tenha sido um fracasso de bilheteria já que considero este um dos trabalhos mais interessantes da Dreamworks. É um filme que foi pouco divulgado, pouco falado, mas que tem uma história inteligente, personagens cativantes e cenas de ação surpreendentes. Uma das melhores animações de 2014. Um filme que merece ser visto! (Mr. Peabody & Sherman. Dirigido por Rob Minkoff. Com Ty Burrell, Max Charles e Ariel Winter. Aventura. 92 min.)

NOTA: 9.5

16 de nov de 2014

19. MALÉVOLA (2014)

Fica difícil falar de 'Malévola', novo longa da Disney que reconta a história de 'A Bela Adormecida' pelos olhos da vilã. Sou um fã ardoroso do clássico de 1959 e fiquei extremamente animado ao saber do projeto e de que Angelina Jolie representaria a personagem. É difícil falar pois o que vi na tela não foi a Malévola que conheço desde criança. Apesar de ser um bom filme, com um visual rico em detalhes (porém problemático em certas partes) e uma atuação incrível de Jolie, 'Malévola' peca por distorcer demais os acontecimentos da animação clássica. Basicamente é dito para o espectador que aquilo que Walt Disney nos contou em 1959 foi pura mentira. Talvez o problema tenha sido na direção se basear demais no desenho animado. Desde o visual da Malévola em si, até os trailers que traziam comparações entre a animação e este novo filme, ficava claro que o longa de Robert Stromberg se passava no mesmo universo da animação. Mas por outro lado, se visto como um longa stand-alone, 'Malévola' chega a ser um filme bastante decente. Possui diversos equívocos no roteiro e no visual criado para estabelecer seu universo, mas 'Malévola' se beneficia - e MUITO! - com a atuação de Angelina Jolie. Ela criou uma personagem que possui sua identidade própria, apesar ter ideais que são completamente o oposto da personagem desenvolvida por Walt Disney. Um filme problemático, mas que ganha muitos pontos pela atuação arrebatadora de Angelina. (Maleficent. Dirigido por Robert Stromberg. Com Angelina Jolie, Elle Fanning, Imelda Staunton e Sharlto Copley. Fantasia. 97 min.)

NOTA: 6

15 de nov de 2014

18. GUARDIÕES DA GALÁXIA (2014)

Pouco depois do lançamento de 'Homem de Ferro 2' em 2010, a Marvel mencionou na Comic-Con de San Diego a idéia de se adaptar 'Guardiões da Galáxia'. Este é - até então - o título mais desconhecido do grande público adaptado pela Marvel Studios... e o mais divertido! Desde seu início até o fim, 'Guardiões da Galáxia' me lembrou 'Star Wars'. O grupo de desajustados, as diferenças entre os personagens, a camaradagem, as cenas de ação incríveis e o visual inusitado e criativo. Tudo isso fez com que eu ficasse com um gostinho de 'Star Wars' na boca (e isso é algo extremamente bom!). Dirigido pelo nerd de carteirinha James Gunn, o filme acerta em todos os quesitos. O roteiro é muito bem construído, dando espaço para cada personagem ser bem desenvolvido, além de ter as piadas mais sensacionais que um filme de super-heróis já nos apresentou. O elenco possui uma química incrível e é o ponto alto do filme. Chris Pratt mostra ter sido a escolha perfeita para interpretar Han Solo Peter Quill, Bradley Cooper se destaca como o alívio cômico Roquet Raccoon, Zoe Saldana e Dave Bautista surpreendem ao dar alguma carga dramática para personagens que aparentemente seriam descartáveis. E por fim temos Vin Diesel que, apesar de falar apenas uma frase ('I Am Groot'), rouba a cena por ser o personagem que mantém o grupo sempre unido. James Gunn criou um clássico instantâneo, uma aventura fantástica, cheia de efeitos especiais surreais e um elenco com uma química surpreendente. Certamente o 'Star Wars' dessa geração! (Guardians of the Galaxy. Dirigido por James Gunn. Com Chris Pratt, Zoe Saladana, Bradley Cooper e Vin Diesel. Aventura. 122 min.)

NOTA: 9

14 de nov de 2014

17. X-MEN: DIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO (2014)

Bryan Singer é para 'X-Men' o mesmo que Peter Jackson é para 'Senhor dos Anéis'. Ambos entenderam tão bem os materiais a que se propuseram adaptar que realizaram alguns dos melhores filmes de fantasia dos últimos 15 anos. 'Dias De Um Futuro Esquecido' é a adaptação de uma das histórias em quadrinhos mais lembradas do universo X-Men. Misturando mundo pós-apocalíptico com viagem no tempo e críticas sociais interessantes, a história marca o retorno do diretor à franquia cujo último filme dirigido por ele foi em 2003 com 'X-Men 2'. Esse filme é tão bem dirigido, mas tão bem dirigido que chega a ofuscar os problemas graves que o roteiro têm. Não quero entrar em detalhes para não dar spoilers, mas o filme derrapa diversas durante os rápidos e ágeis 130 minutos. Apesar de Hugh Jackman voltar junto com o grupo dos filmes anteriores, são os atores de 'Primeira Classe' que - novamente! -  dão um show de atuação. James McAvoy e Michael Fassbender estão absolutamente incríveis como Charles e Erik. Hugh Jackman continua em forma e creio que não vai abandonar Wolverine tão cedo.  Como já falei antes, Bryan Singer é um ótimo diretor que faz um excelente trabalho neste filme. Mesmo com o roteiro fraco e recheado de problemas, o filme se mantem como um bom entretenimento que não chega a decepcionar. Pode não ser tão bom quanto 'X-Men 2' ou 'Primeira Classe', mas é um filme que diverte na medida certa. (X-Men: Days of Future Past. Dirigido por Bryan Singer. Com Hugh Jackman, James McAvoy, Michael Fassbender e Jennifer Lawrence. Aventura. 131 min.)

NOTA: 7

13 de nov de 2014

16. GODZILLA (2014)

'Godzilla' é um filme que tinha tudo pra dar errado (assim como já deu em 1998), mas felizmente o monstro caiu nas mãos de pessoas que entenderam algumas das melhores sacadas presentes nos filmes japoneses. Primeiro, Godzilla não é tratado como a criatura que veio do fundo do mar pra destruir o planeta. Aqui eles colocam o monstro no papel de salvador, já que outras duas criaturas estão causando um belo estrago por onde passam. Segundo, assim como em diversos dos filmes japoneses, os seres humanos (apesar de serem a linha principal da narrativa) pouco interferem nos acontecimentos relacionados aos monstros. Apesar da movimentação dos exércitos, do tiroteiro e das bombas, os humanos são tratados como meros espectadores. Alguns enxergam isso como falta de desenvolvimento de personagem, e até pode ser. Mas eu vejo como uma alegoria de que, quando o assunto é a fúria da mãe natureza, nós - seres humanos - somos todos inúteis. O filme tem uma trilha sonora absurdamente incrível, com temas que remetem claramente ás trilhas de John Williams. E falando nisso, o primeiro ato apresenta cenas que lembram o mesmo clima misterioso do inicio de 'Contatos Imediatos do Terceiro Grau'. Com uma fotografia linda, efeitos especiais incríveis e um ritmo lento que prioriza a construção do suspese, 'Godzilla' marca um retorno altamente decente para o monstro japonês. (Godzilla. Dirigido por Gareth Edwards. Com Aaron Taylor-Johnson, Ken Watanabe, Elizabeth Olsen e Bryan Cranston. Aventura. 123 min.)

NOTA: 8

12 de nov de 2014

15. NO LIMITE DO AMANHÃ (2014)

Doug Liman é um cara cujos filmes (geralmente do gênero ação) são, acima de tudo, divertidos. 'No Limite do Amanhã' é um filme que recicla idéias já usadas anteriormente (como em 'Feitiço do Tempo' e '12:01'), mas de um modo totalmente inesperado. Tom Cruise interpreta um militar que está preso em um loop de tempo onde ele revive diversas vezes o dia em que a Terra perdeu a guerra de uma invasão alienígena. O modo como o personagem se beneficia com a repetição dos acontecimentos e como ele melhora a sua performance no combate é o que diferencia este de outros filmes de ação dos últimos anos. As explicações dadas para o que está acontecendo com ele são bastante convincentes e interessantes, assim como as reviravoltas no decorrer do filme. Emily Blunt está incrível interpretando uma sargento que é parte crucial de alguns desses twists na trama. Já Tom Cruise não é um grande ator de personagens, mas é muito carismático. Seu William Cage não tem nada de diferente de outros personagens interpretados por ele, mas mesmo assim sua atuação é altamente competente e acrescenta muito ao filme pela fácil identificação que temos com o ator em si. O único problema do filme é o terceiro ato, cuja conclusão pouco corajosa acabou criando um buraco enorme no roteiro. Mesmo assim, a direção certeira e eficaz de Doug Liman mantém o filme extremamente divertido durante suas quase 2 horas de duração. O sci-fi, misturado com o humor e as cenas de ação emocionantes fazem deste um dos melhores blockbusters do ano. (Edge of Tomorrow. Dirigido por Doug Liman. Com Tom Cruise, Emily Blunt e Bill Paxton. Ficção Científica. 113 min.)

NOTA: 9.5

8 de nov de 2014

14. UMA VIAGEM EXTRAORDINÁRIA (2013)

Sendo lançado com um ano de atraso no Brasil, 'Uma Viagem Extraordinária' é o novo filme do diretor Jean-Pierre Jeunet, responsável por diversos ótimos filmes como 'Delicatessen' e 'O Fabuloso Destino de Amélie Poulain'. Este novo trabalho conta a história de uma viagem que o jovem de 10 anos T. S. Spivet deve fazer até Washington para receber um prêmio que ganhou devido á uma invenção feita por ele. Nessa viagem ele conhece diversos personagens bastante interessantes que ás vezes ajudam e outras vezes atrapalham a jornada. O filme é extremamente cativante principalmente por 2 motivos: a fotografia e a incrível atuação de Kyle Catlett como T. S. Spivet. A habilidade que esta criança tem em se envolver emocionalmente com longos textos e diálogos refinados é algo realmente único e mostra que o pequeno pode ter um belo futuro nas telas. E por ser um filme de Jean-Pierre Jeunet, já é de se esperar que a cenografia seja um dos pontos altos do filme, mas 'Uma Viagem Extraordinária' se beneficia - e muito! - da fotografia colorida e da direção de arte cheia de detalhes curiosos. Com um visual recheado de planos que poderiam facilmente ser enquadrados e pendurados na sala, o filme emociona pela beleza estética que vem sendo cada vez mais o grande chamariz de público para os filmes do diretor. 'Uma Viagem Extraordinária', além de ser um dos melhores trabalhos de Jean-Pierre, é um filme lindo, incrivelmente cativante e extremamente delicioso de se assistir! (The Young and Prodigious T.S. Spivet / L'extravagant voyage du jeune et prodigieux T.S. Spivet. Dirigido por Jean-Pierre Jeunet. Com Kyle Catlett, Helena Bonham-Carter e Judy Davis. Aventura. 105 min.)

NOTA: 9

7 de nov de 2014

13. INTERESTELAR (2014)

'Interestelar' é um filme que me deixou com uma sensação bastante estranha ao fim da projeção. Apesar de ter adorado grande parte do novo trabalho do diretor Christopher Nolan, infelizmente o terceiro ato do filme acabou me decepcionando muito mais do que eu esperava. Entrei no cinema totalmente desinformado, e quando a premissa principal foi apresentada eu fiquei extremamente empolgado com a história que estava sendo contada. O filme segue numa crescente absurdamente excelente, tendo atuações impactantes, uma fotografia linda, efeitos especiais incríveis, uma trilha sonora fantástica e cenas espaciais muito bem realizadas. Infelizmente parece que o diretor não conseguiu lidar muito bem com tudo aquilo que ele mesmo havia criado. A narrativa acaba chegando á um ponto onde a resolução daquilo tudo dificilmente seria mais interessante do que a premissa em si. Durante quase 2 horas o filme segue nos apresentando diversos conceitos e discussões interessantes e necessárias, mas os últimos 50 minutos seguem uma lógica que destoa bastante de tudo aquilo apresentado até ali. Além disso o filme tem uma revira-volta que, apesar de ser interessante quando apresentada pela primeira vez, acaba virando quase uma piada ao ser usada mais 2 ou 3 vezes durante o terceiro ato. 'Interestelar' talvez seja o trabalho mais corajoso de Christopher Nolan, abordando temas e discussões existenciais difíceis de serem transpostas para a tela. Ainda bem que o filme possui 2 primeiros atos incríveis, recheados de cenas fantásticas e que salvam o filme. É uma aventura bastante interessante, mesmo que sofra com um final problemático. (Insterstellar. Dirigido por Christopher Nolan. Com Matthew McConaughey, Anne Hathaway e Jessica Chastain. Ficção Científica. 169 min.)

NOTA: 6

1 de nov de 2014

12. TIM MAIA (2014)

Se tem algo que o cinema brasileiro faz bem é cinebiografia, tendo como exemplo os ótimos 'Cazuza - O Tempo Não Para' e '2 Filhos de Francisco'. 'Tim Maia' não chega a ser tão bom quanto estes, mas certamente é o mais divertido de se assistir. Com uma direção pouco inspirada de Mauro Lima, o filme segue a mesma estrutura básica da maioria das cinebiografias existentes. Começa mostrando as origens do cantor, passando pelo estrelato e terminando com a decadência do mesmo. Ao contrário da direção previsível, o filme tem um elenco incrível em atuações fantásticas. Apesar de todos estarem ótimos, Babu Santana literalmente dá um show interpretando Tim Maia na fase adulta. Em um mundo justo, ele seria indicado à todos os prêmios de Melhor Ator que existe. Além disso o filme é montado de maneira bem ágil fazendo os 140 minutos passarem muito rápido. É interessante notar que, mesmo tendo alguns acontecimentos tensos na vida do personagem - como o excesso de drogas, os roubos e as prisões - o filme sempre enxerga isso de maneira bastante otimista. Isso faz com que 'Tim Maia' tenha um ótimo clima 'feel-good', algo que combina bastante com o clima de suas músicas. Apesar da direção pouco ousada e da narração extremamente irritante e dispensável, 'Tim Maia' é um filme com atuações de cair o queixo e muito gostoso de se assistir. (Tim Maia. Dirigido por Mauro Lima. Com Babu Santana, Róbson Nunes, Alinne Moraes e Cauã Reymond. Drama. 140 min.)

NOTA: 8

29 de out de 2014

11. ALEXANDRE E O DIA TERRÍVEL, ESPANTOSO E HORROROSO (2014)

Baseado no famoso livro de Judith Viorst, 'Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso' é uma nova comédia produzia pela Disney que traz diversas perspectivas diferentes do que é ter um dia ruim. Já de início somos apresentados à Alexandre, uma criança insatisfeita com a vida que leva e que vive reclamando da falta de atenção que sua família tem com ele. Como pedido de aniversário, Alexandre deseja que sua família tenha um dia terrível, horrível, espantoso e horroroso como os dele. E a partir daí o filme vai mostrando como essa família se mantêm unida apesar do dia azarento que todos estão vivendo. Na verdade o único que está tendo um dia perfeito é o próprio Alexandre. E é interessante notar como ele fica sensibilizado quando algo de ruim acontece com um membro de sua família (o que não parece ser reciproco, já que sua família não parece se portar da mesma forma quando os seus dias eram ruins). Com um roteiro bastante leve e cheio de mensagens inspiradoras para qualquer tipo de família, 'Alexandre e o Dia Terrível, Horrível, Espantoso e Horroroso' escapa de ser apenas mais uma sessão da tarde graças à química que o elenco têm entre si. Apesar dos clichês, o filme se mantêm extremamente divertido durante seus rápidos 80 minutos, fazendo deste um dos filmes mais carismáticos do ano. (Alexander and the Terrible, Horrible, No Good, Very Bad Day. Dirigido por Miguel Arteta. Com Steve Carrell e Jennifer Garner. Comédia. 81 min.)


NOTA: 8

27 de out de 2014

10. DRÁCULA - A HISTÓRIA NUNCA CONTADA (2014)

Mais uma vez o personagem Drácula volta aos cinemas, dessa vez em um filme que já começa errando pelo subtítulo: 'A História Nunca Contada' (em inglês 'Untold'). O problema é que essa história já foi contada sim. Apesar de poucos filmes se aprofundarem no seu passado, a grande maioria - em algum momento - dá uma pincelada básica na sua história de origem. Considerado o primeiro de uma série de filmes que integrarão o novo universo de monstros da Universal, este acaba sendo mais uma grande aventura recheada de efeitos especiais. O que chega a causar certo estranhamento, já que o personagem Drácula (quase) sempre foi protagonista de histórias de terror. Se a Universal está pretendendo criar seu universo de monstros, acho extremamente equivocado tratar estes filmes como grandes blockbusters. É bastante frustrante ir ver um filme chamado 'Drácula' e se deparar com um filme de aventura, com pouquíssima violência e sem nada de sangue. Estes personagens renderiam enredos que se beneficiariam muito mais se fossem tratados como histórias de terror. 'Drácula - A História Nunca Contada' é um filme que - apesar de ser uma boa diversão passageira - é extremamente previsível, com atuações medíocres e que não faz jus ao nome que leva. Certamente outras criaturas ganharão seus novos filmes, e eu realmente estou na torcida para que não cometam o mesmo erro. A ideia de criar um novo universo com seus monstros é muito interessante, mas a Universal precisa ter um carinho e uma consideração maior por esses personagens. (Dracula Untold. Dirigido por Gary Shores. Com Luke Evans e Dominic Cooper. Ação. 92 min.)

NOTA: 5.5

23 de out de 2014

09. RELATOS SELVAGENS (2014)

Selecionado como o candidato argentino para uma indicação ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, 'Relatos Selvagens' tem grandes chances de ser indicado e, na minha opiniãodeveria ganhar (mesmo sem saber quem são os indicados). Apesar de ser uma antologia de 6 contos diferentes relacionados á vingança, é perceptível uma linguagem cinematográfica muito autêntica ali. Com cores bastante fortes e vibrantes, a fotografia do filme chega a ser surpreendente devido aos ângulos curiosos e aos movimentos de câmera inusitados. Além disso temos atuações fantásticas de todos os envolvidos. Ricardo Darín dá um show em um conto sobre um homem infeliz com uma multa - supostamente - recebida por engano. Outro conto que me chamou a atenção foi o último, intitulado 'Hasta Que La Muerte Nos Separe'. Este nos insere numa festa de casamento em que a noiva descobre ter sido traída pelo marido. Mas no fim é impossível não se envolver de maneiras diferentes com cada uma dessas histórias. O modo como nos identificamos com os envolvidos nas vinganças se deve graças ao roteiro esperto. É interessante como o diretor consegue nos fazer rir de situações extremamente absurdas, mas que poderiam facilmente acontecer ao nosso redor. Além de atuações incríveis e um roteiro muito inteligente, 'Relatos Selvagenspossui um senso de humor absurdamente negro e muito bem executado, fazendo eu rir e me divertir de um modo totalmente inesperado. Um filme incrível do início ao fim! (Relatos Salvages. Dirigido por Damián Szifrón. Com Ricardo Darín, Óscar Martínez, Leonardo Sbaraglia e Érica Rivas. Comédia. 122 min.)

NOTA: 10

22 de out de 2014

08. O DOADOR DE MEMÓRIAS (2014)

É impressão minha ou têm cada vez mais aparecido filmes com propostas interessantes mas sem um desenvolvimento à altura? 'O Doador de Memórias' infelizmente acaba sendo mais um nessa lista. Baseado no livro de Lois Lowry, o filme peca em diversos aspectos, principalmente no roteiro e na escolha do elenco. É aceitável que o filme queira se vender como um triângulo amoroso adolescente, mas escalar Brenton Thwaites e Odeya Rush como o casal principal foi uma escolha muito errada. Ambos são totalmente inexpressivos e sem química alguma em tela. E ainda têm a tristeza de ver Meryl Streep e Jeff Bridges em papéis interessantes e que podiam ter sido trabalhados de maneira muito mais eficiente se não fosse o roteiro medíocre. 'O Doador de Memórias' tem um início muito interessante, tanto na apresentação do enredo quanto no visual. Iniciar o filme em preto-e-branco foi uma idéia bastante arriscada apesar de clichê, visto que o filme trata justamente sobre a falta de cores. Mas a segunda metade do filme se perde totalmente. A impressão que dá é a de que muitos dos acontecimentos na segunda metade foram filmados e editados de forma apressada, com o intuito de manter o filme curto. Os últimos 30 minutos poderiam facilmente virar 1 hora, dando a oportunidade de um desenvolvimento mais adequado para uma idéia altamente original. Funcionando apenas como um passatempo despretencioso, 'O Doador de Memórias' decepciona por ter uma grande idéia muito mal executada. (The Giver. Dirigido por Phillip Noyce. Com Jeff Bridges, Meryl Streep, Brenton Thwaites e Odeya Rush. Aventura. 97 min.)

NOTA: 4

20 de out de 2014

07. OS BOXTROLLS (2014)

Depois dos ótimos 'Coraline' e 'Paranorman', chegou a vez da produtora Laika lançar mais uma animação em stop-motion. 'Os Boxtrolls' é um filme com uma premissa bastante interessante e um visual impressionante, mas que acaba perdendo o fôlego no decorrer dos seus longos 96 minutos. A verdade é que o roteiro do filme se mantém interessante durante toda a apresentação do universo e dos personagens. Logo após isso o filme infelizmente derrapa graças ao péssimo desenvolvimento da narrativa . A boa notícia é que o saldo final não chega a ser negativo, apesar de ficar perto disso. Felizmente a magia da técnica em stop-motion te faz manter os olhos grudados na tela, já que o visual do filme é totalmente hipnotizante. Em um mundo perfeito 'Os Boxtrolls' seria facilmente indicado (e com grandes chances de ganhar) à um Oscar na categoria de Melhor Direção de Arte. Mas assim como diversos outros trabalhos no ramo da animação, o filme provavelmente passará batido nas categorias desse tipo. Apesar de ser evidente o esforço que a equipe teve para trazer o filme à vida, acaba sendo decepcionante ver um estúdio extremamente competente como a Laika lançar um filme intelectualmente medíocre como este. Se apoiando em longas cenas de ação durante sua segunda metade, 'Os Boxtrolls' falha por não desenvolver melhor a ótima idéia apresentada no início do filme. Mas, como dito antes, a estética e a perfeição dos movimentos dos personagens fizeram meus olhos brilharem durante toda projeção do filme, apesar do meu cérebro ter se desligado logo após seus 40 minutos iniciais. (The Boxtrolls. Dirigido por Graham Annable e Anthony Stacchi. Com Isaac Hempstead-Wright, Elle Fanning, Ben Kingsley, Toni Collette e Simon Pegg. Fantasia. 96 min.)

NOTA: 6

19 de out de 2014

06. FESTA NO CÉU (2014)

Em um mercado dominado praticamente pelas grandes empresas como Pixar e Dreamworks, é sempre curioso quando um bom filme surge de surpresa vindo de uma empresa relativamente pequena. 'Festa no Céu' custou 'apenas' 50 milhões, mas a qualidade técnica é tão competente que faz com que o resultado final pareça ter custado - no mínimo - 3 vezes mais. Abordando o Día De Los Muertos como tema, o filme ganha créditos por ser uma rara exceção no ramo da animação ao explorar de maneira eficiente a morte de personagens ao longo da trama (o que não chega a ser spoiler já que o título do filme em português é 'Festa no CÉU'). Sei que outros desenhos já fizeram isso, mas numa década onde animações como 'A Noiva Cadáver', 'A Casa Monstro', 'Paranorman' e 'Hotel Transylvania' ganharam grande destaque, um filme com um enredo mais romântico e um visual incrivelmente colorido acaba se destacando dos demais. E falando nisso, é obrigatório ressaltar a qualidade técnica e artística do design dos personagens, que, além de terem uma renderização de cair o queixo,  lembram pequenos bonecos de madeira (assim como aqueles mostrados no início do filme). 'Festa no Céu' talvez não tenha o retorno financeiro esperado, mas certamente é uma obra que merece ser vista. É uma aventura gostosa de ser assistida, com um romance convincente e músicas muito lindas. Possui alguns pequenos problemas e furos no roteiro, mas nada que tire o charme e o prazer de assistir a essa história. (The Book of Life. Dirigido por Jorge Gutierrez. Com Diego Luna, Zoe Saldana, Channing Tatum e Ron Perlman. Aventura. 95 min.)

NOTA: 8

18 de out de 2014

05. ONE DIRECTION: WHERE WE ARE - THE CONCERT FILM (2014)

Assistir a um show no cinema é algo bastante emocionante, mesmo que você não possua nenhum vínculo com a música apresentada ali. Apesar de gostar bastante do grupo 'One Direction', nunca dei muita atenção às performances deles ao vivo. Nem ao menos assisti ao primeiro DVD lançado em 2012. Dito isso, foi uma grata surpresa sair do cinema animado por ter assistido um ótimo show, muito bem produzido e filmado de forma fenomenal. O diretor Paul Dugdale (já com vasta experiência em dirigir shows como os de Adele e Coldplay) usa e abusa de imagens panorâmicas do estádio inteiro lotado, dando uma enorme sensação de grandiosidade e causando inveja a outros artistas. Uma câmera em especial, localizada no topo do estádio, capturou imagens incríveis de tirar o fôlego e que certamente fazem valer o ingresso. Os garotos definitivamente são talentosos e cativantes, fazendo com que muitas vezes o humor tome conta do show. Não cabe a mim julgar a qualidade das músicas deles mas, na minha humilde opinião, eles possuem um ótimo repertório (o que ajuda bastante ao curtir um show desse tipo). Contando com 16 músicas em pouco mais de 90 minutos de show, 'Where We Are - The Concert Film' é um show grandioso e filmado de forma entusiasmante que, além de agradar aos fãs do grupo, certamente vai criar novos Directioners. (One Direction: Where We Are - The Concert Film. Dirigido por Paul Dugdale. Com Niall Horan, Zayn Malik, Liam Payne, Harry Styles e Louis Tomlinson. Show. 96 min.)

NOTA: 8

17 de out de 2014

04. LUCY (2014)

Luc Besson é um diretor muito interessante. Apesar de nem sempre obter sucesso crítico nos seus projetos, ele possui um estilo visual bastante autêntico e diferente do que se vê por ai. 'Lucy' é seu mais novo trabalho e talvez o mais ambicioso. Basicamente conta a história de uma mulher que aos poucos vai adquirindo a habilidade de usar seu cérebro por inteiro. O filme funciona como uma bomba-relógio, mostrando em tela o aumento do uso do seu cérebro até chegar a 100% e culminando num final bastante interessante, apesar de previsível. 'Lucy' funciona principalmente graças a interpretação de Scarlett Johansson, que está incrível como a personagem-título. Provando que filmes de ação protagonizados por mulheres podem funcionar perfeitamente, Scarlett mostra que Hollywood está totalmente equivocada em tentar ignorar esse fato. Claro que nada é perfeito e o filme diversas vezes cai na galhofa. Talvez o assunto e o modo como ele é desenvolvido, sejam sérios demais para a abordagem estética que Luc Besson optou usar. Mas apesar disso, certas decisões como a inserção de pequenos videos no estilo National Geographic para fazer um comparativo entre os personagens e a natureza animal, enriquecem o filme pela forma  eficaz e inesperada como são apresentados. Funcionando muito bem do início ao fim (com pequenos problemas aqui e ali), 'Lucy' é um bom filme de ação que não vai ser esquecido tão facilmente. (Lucy. Dirigido por Luc Besson. Com Scarlett Johanson e Morgan Freeman. Ação. 89 min.)

NOTA: 7.5

16 de out de 2014

03. ANNABELLE (2014)

Ano passado Annabelle protagonizou uma das cenas mais assustadoras de 'Invocação do Mal'. Não foi surpresa pra ninguém quando anunciaram um filme solo da boneca. Mas apesar do potencial, a boneca acabou servindo apenas como McGuffin, um artifício para fazer a história fluir. Algo bastante problemático para um filme que leva o nome dela. Por outro lado, 'Annabelle' consegue se manter interessante durante (quase) o tempo inteiro, fazendo a experiência ser mais positiva do que negativa. Mesmo assim o filme apresenta escolhas bastante equivocadas do diretor John R. Leonetti. É aceitável que a estética seja semelhante com a de 'Invocação do Mal' já que ambos pertencem ao mesmo universo. O problema é que os truques usados para dar os sustos são iguais aos do filme de James Wan, chegando ao ponto de parecer falta de inspiração. Inclusive o roteiro do filme tem temas bastante parecidos com os de 'Sobrenatural' (outro filme de Wan), assim como a trilha sonora, a edição e vários ângulos de câmera.  O elenco, apesar de inexpressivo, não apresenta grandes problemas à história, já que o verdadeiro problema é a falta da presença da boneca em si. Não é o terror do ano e está longe de ser, mas 'Annabelle' consegue dar alguns sustos e prova ser um passatempo ao menos divertido. E só. (Annabelle. Dirigido por John R. Leonetti. Com Annabelle Wallis, Ward Horton e Alfre Woodard. Terror. 99 min.)


NOTA: 5.5

15 de out de 2014

02. MAZE RUNNER - CORRER OU MORRER (2014)

Após o fim de 'Harry Potter' houveram diversas tentativas de iniciar outra série adolescente nos cinemas, sendo 'Jogos Vorazes' o título mais expressivo que apareceu nos últimos anos. A nova tentativa se chama 'Maze Runner - Correr ou Morrer' e, apesar de não ser tão conhecida como as duas séries citadas acima, o filme consegue apresentar uma ideia tão interessante quanto. Adaptando o primeiro livro de uma trilogia escrita por James Dashner, o filme nos insere em um universo visualmente intrigante e bastante interessante. O mistério acerca do labirinto e a interação entre os personagens durante a primeira metade do filme lembra muito o seriado 'Lost'. Já na segunda metade, quando passamos a conhecer melhor a geografia e as mudanças repentinas que acontecem no labirinto, o filme lembra muito o mesmo clima de 'Cubo', longa canadense de 1997. Apesar de ter mais qualidades do que defeitos, 'Maze Runner - Correr ou Morrer' peca por ter um desfecho bastante decepcionante, mas curioso. Apenas a sequência vai dizer se o twist final vai funcionar ou não. Mas pelo lado positivo o filme possui um elenco adolescente cheio de atores extremamente carismáticos, fazendo o filme se destacar da grande maioria das adaptações 'young adult' que andam surgindo cada vez com mais frequência.  Pode estar longe de ser o sucesso crítico e comercial que 'Harry Potter' e 'Jogos Vorazes' foram, mas é um ótimo primeiro capítulo para iniciar uma série que chegou sem grandes pretensões, e fazendo isso surpreendeu muita gente. (The Maze Runner. Dirigido por Wes Ball. Com Dylan O'Brien, Kaya Scodelario, Thomas Brodie-Sangster, Will Poulter e Ki Hong Lee. Aventura. 113 min.)

NOTA: 8

13 de out de 2014

01. GAROTA EXEMPLAR (2014)

Baseado no livro de Gillian Flynn (que também é a roteirista do filme), 'Garota Exemplar' é o exemplo perfeito do resultado de tudo aquilo que David Fincher aprendeu ao longo de 20 anos de carreira no cinema. Fincher dirigiu ótimos suspenses como 'Seven - Os Sete Pecados Capitais', 'Vidas em Jogo', 'Quarto do Pânico' e 'Millennium - Os Homens Que Não Amavam As Mulheres'. Mas é com 'Garota Exemplar' que ele chega ao seu ápice (até o momento!) como contador de histórias. Ele vem ao longo dos anos provando ser um diretor completo, dando extrema atenção a cada detalhe do filme no qual ele escolhe trabalhar. Sua filmografia é conhecida por possuir estudos bastante interessantes de personas e, nesse filme ele só consegue prender a nossa atenção por quase 3 horas graças aos personagens extremamente cativantes e cheio de camadas que o roteiro esperto de Gillian Flynn faz questão de explorar de forma bastante interessante. Ben Affleck e Rosamund Pike nos presenteiam com atuações incríveis (principalmente Pike) que certamente estarão presentes nas premiações da próxima temporada. E assim como todos os trabalhos de Fincher, este possui um visual de cair o queixo, mas são os personagens e suas revira-voltas que me fizeram sair do cinema considerando este como um dos melhores filmes do ano e da carreira de todos os envolvidos. Além de ser um suspense inteligente, muito bem dirigido e com um roteiro bastante cínico (no bom sentido), 'Garota Exemplar' ainda guarda espaço para fazer duras críticas ao sensacionalismo e ao controle da mídia que, apesar de ser um tema recorrente na carreira do diretor, ajuda a conduzir a narrativa de forma extremamente curiosa e cativante. (Gone Girl. Dirigido por David Fincher. Com Ben Affleck, Rosamund Pike, Neil Patrick Harris e Tyler Perry. Suspense. 149 min.)


NOTA: 10